Será que me lembro quem sou?

X CLOSE
+
              Home    Message Archive Theme

Não me arrependo do que fui outrora 
Porque ainda o sou…

Ás vezes sinto quebro, resta-me tão pouco,
Originalmente culpado, confundido como louco.
Sabe pouco tudo o que conquistei até aqui,
Sabe pouco ter a taça, mas não te ter a aqui.
Dou por mim a flutuar, em versos sem razão,
Dar ouvidos ao certo, quando me chama o coração.
Acaba por ter lógica o que perdi por ter lutado,
Peço desculpa por tudo,
Só não posso ficar parado.
Despeço-me do comum e parto rumo á minoria,
Marcar a diferença passa a ser ordem do dia.
Calem-se todas as caras, eu faço o que quiser,
A vida é minha!
Vivo-a como me apetecer.
Tapa os ouvidos,
Escondem-se sombras á minha frente,
Desapareçam todos os sopros, porque eu sou consistente.
Não posso ser tudo,
Até posso nem ser nada…
Mas sou muito para muita gente..

Você lê e sofre. Você lê e ri. Você lê e engasga. Você lê e tem arrepios. Você lê, e sua vida vai se misturando no que está sendo lido.
- Caio F. Abreu.  (via alentador)

É talvez o último dia da minha vida.
Saudei o Sol, levantando a mão direita,
Mas não o saudei, dizendo-lhe adeus,
Fiz sinal de gostar de o ver antes: mais nada.

Nem sempre sou igual no que digo e escrevo. Mudo, mas não mudo muito. A cor das flores não é a mesma ao sol De que quando uma nuvem passa Ou quando entra a noite E as flores são cor da sombra. Mas quem olha bem vê que são as mesmas flores. Por isso quando pareço não concordar comigo, Reparem bem para mim: Se estava virado para a direita, Voltei-me agora para a esquerda, Mas sou sempre eu, assente sobre os mesmos pés — O mesmo sempre, graças ao céu e à terra E aos meus olhos e ouvidos atentos E à minha clara simplicidade de alma …
Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,
E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.
Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala,
E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.
Amar é pensar.
E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.
Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.
Tenho uma grande distração animada.
Quando desejo encontrá-la
Quase que prefiro não a encontrar,
Para não ter que a deixar depois.
Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero. Quero só
Pensar nela.
Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar.
- Fernando Pessoa (Alberto Caeiro)
tears-of-a-mystical-being:

Untitled em We Heart It.